O Que é Leitura Dinâmica e Até Que Ponto Ela Pode Ser Usada Com Sucesso no Estudo Para Concursos Públicos

Tempo de leitura: 12 minutos

técnicas de leitura dinâmica

Você já ouviu falar em pessoas que conseguem ler mais de um livro por semana? Ou em gurus da aprendizagem acelerada que, ao usarem as famosas técnicas de Leitura Dinâmica, não precisam ler palavra por palavra de um texto, para compreendê-lo?

Pois é! Pode até parecer charlatanismo ou coisa do tipo, mas esses figurões existem mesmo e – quer você acredite ou não – eles não mentem quando se referem a essa habilidade impressionante.

Bem, a princípio, quem ficou conhecida como a desenvolvedora oficial dessa metodologia, hoje já tão popularmente conhecida como “Leitura Dinâmica”, foi a professora norte-americana Evelyn Wood (1927-1979)…

Que, na verdade, apenas aperfeiçoou os estudos do francês Louis-Émile Javal (1839-1907), diretor, em sua época, do Laboratório de Oftalmologia da Universidade de Sorbonne, em Paris.

E o que ambos perceberam em suas pesquisas foi a possibilidade de acelerar o tempo bruto da leitura comum atendo-se preponderantemente aos termos-pivôs em torno dos quais se constrói as ideias do texto, dando-se menos atenção às palavras secundárias que apenas assessoram o raciocínio elementar do conteúdo.

Desta forma, com uma passada de olho feita em blocos de mensagens completas [o conjunto de miolos centrais das frases] e não em sequências de unidades diversas [palavra por palavra], o entendimento imediato e, por assim dizer, epidérmico (superficial), acabaria sendo alcançado com maior velocidade.

E se, conforme o ditado, uma imagem vale mais que mil palavras, então, aí vai uma demonstração autoexplicativa de como se manifesta, na prática, a essência das técnicas de Leitura Dinâmica

técnicas de leitura dinâmica

E assim por diante ↴

técnicas de leitura dinâmica

Até que você alcança o nível de entender que a leitura silábica tradicional não é a forma mais eficiente para o seu cérebro extrair o substrato de uma palavra, pois o ideal é contemplar mentalmente a imagem-significado da palavra ↴

técnicas de leitura dinãmica

Assim foram paridas, portanto, as técnicas de Leitura Dinâmica.

Ocorre que o nosso cérebro, de fato, parece ter a capacidade de ler e compreender dados em um nível muito além do que estamos acostumados a acessar, conseguindo entender, por exemplo, desde anagramas comuns até anagramas com números.

E só para ilustrar o que estou dizendo, leia os seguintes textículos ↴

De aorcdo com uma pqsieusa de uma uinrvesriddae ignlsea, não ipomtra em qaul odrem as lrteas de uma plravaa etãso, a úncia csioa iprotmatne é que a piremria e útmlia lrteas etejasm no lgaur crteo. O rseto pdoe ser uma ttaol bçguana que vcoê pdoe anida ler sem pobrlmea. Itso é poqrue nós não lmeos cdaa lrtea isladoa, mas a plravaa cmoo um tdoo.”


35T3 P3QU3N0 T3XTO 53RV3 4P3N45 P4R4 M05TR4R C0M0 4 NO554 C4B3Ç4 CONS3GU3 F4Z3R CO1545 1MPR3551ON4ANT35! R3P4R3 N155O! NO COM3ÇO 35T4V4 M310 COMPL1C4DO, M45 N3ST4 L1NH4 A SU4 M3NT3 V41 D3C1FR4NDO O CÓD1GO QU453 4UTOM4T1C4M3NT3, S3M PR3C1S4R D3 P3N54R MU1TO, C3RTO? POD3 F1C4R B3M ORGULHO5O! 4 SU4 C4P4C1D4D3 M3R3C3 P4R4BÉN5!”

Agora que você leu normalmente e compreendeu, por inteiro, as duas informações acima, a pergunta inevitável que você deve se fazer é: como eu fui capaz de fazer isso?

Adaptação mental à desordem linguística, preenchimento automático das lacunas verbais, Rearranjo cognitivo do idioma…enfim, são muitas as opções de resposta.

Mas o fato é que a verdadeira solução para essa pergunta consiste na ideia de que não usamos – e raramente sabemos que existem – os limites reais de nossa mente.

E olha que eu nem estou falando em telepatia e telecinese ein! [hehehe].

Contudo, é precisamente nesse gancho de explorar os verdadeiros contornos de nossa capacidade intelectual, que os protagonistas da Leitura Dinâmica se agarram, a fim de masterizar, o máximo possível, a quantidade de conteúdos lidos que podemos introduzir em nosso cérebro em cada vez menos tempo.

E eles frequentemente prometem que, depois da conclusão de seus cursos, o aluno será capaz de alavancar suas leituras para níveis que giram em torno de “10x mais rápidas”.

Isso é possível? Claro que é.

Como eu disse, a promessa consiste no aumento da velocidade da leitura, mas, sorrateiramente, não se fala nada sobre o efeito dessa aceleração sobre a qualidade da compreensão e retensão do que se leu, ou seja, se tal qualidade será mantida ou não.

Nesse sentido, vamos fazer uma analogia com um carro de Fórmula 1 ↴

  • Imagine um carro de Fórmula 1 passeando, em uma velocidade média de 50 km/h e sem trânsito pela frente, por um percurso urbano repleto de casas, prédios, parques, praças, lojas, shoppings etc. O condutor do veículo, nessa velocidade, conseguirá observar uma proporção x da paisagem total por entre a qual ele passou, certo?
  • Agora imagine o mesmo carro e o mesmo condutor transitando pelo mesmo caminho [permanecendo a ausência de trânsito], mas agora explorando a velocidade máxima a qual a mecânica do veículo permite chegar [Digamos uns 350 km/h]. Pergunto: você realmente acha razoável pensar que é possível manter a mesma densidade de paisagem observada em relação à primeira hipótese?

É obvio que é impossível, concorda?

Embora seja preciso dizer que o número de paisagens visualizadas e retidas a 50 km/h [x] pode sim ser preservado até uma velocidade [y], ou seja, não é porque o condutor pisou um pouco mais, elevando a velocidade média para uns 60, 70 ou até mais km/h, que ele necessariamente verá menos paisagens.

Tudo vai depender, até determinada aceleração, da habilidade e experiência do condutor [e no caso do leitor: do hábito de ler, dos conhecimentos básicos sobre o assunto, de um ambiente propício etc.]. Só depois de certo limite, é que a queda de aproveitamento [menos paisagens ou menos compreensão do texto lido] ocorrerá inevitavelmente.

Consideremos, para tanto, que para não perder a qualidade da compreensão, a leitura possa ser acelerada até por volta de umas 3x a sua velocidade original. Esse, portanto, seria um limite razoável para se conciliar rapidez e eficácia no aprendizado.

Então, a Leitura Dinâmica funciona? Sim.

Quando aplicada, a proporção média de entendimento é mantida à medida que a velocidade da leitura aumenta? Só até certo ponto.

Mas a Leitura Dinâmica funciona para ler todos os tipos de conteúdos? Não.

E no universo dos concursos, ela pode ser aplicada? Só até certo ponto.

Vem comigo, que vou lhe explicar em detalhes.

Cursos Extensivos Estratégia Concursos

ATÉ QUE PONTO AS TÉCNICAS DE LEITURA DINÂMICA SÃO EFICAZES DENTRO DO ESTUDO PARA CONCURSOS PÚBLICOS?

técnicas de leitura dinâmica

O principal problema dos gurus da Leitura Dinâmica que insistem em esticar suas técnicas para todos os tipos de conhecimento, é que haverá determinados universos temáticos que exigirão uma investigação e cautela muito maior no contato com seus conteúdos.

E é justamente o ato de ignorar esse princípio que tem feito com que muitos concurseiros amadores saiam por aí abraçando todas as ferramentas de estudo possíveis e se engasgando com métodos que nada têm a ver com o estudo concursológico.

O que estou tentando lhe dizer é que as técnicas de Leitura Dinâmica servem para conteúdos cuja essência seja estruturalmente objetiva (1), linguisticamente simplória (2) e tematicamente comum (3).

E digo tudo isso porque não acredito – e já vou demostrar o porquê – que uma leitura dinâmica [quantidade de palavras lidas/minuto] produza proporcionalmente uma compreensão dinâmica [entendimento-retensão de palavras lidas/minuto] quando o conteúdo é considerado tecnicamente complexo.

Eu garanto a você que se eu entrevistasse algum desses heróis da Leitura Dinâmica e o pedisse que interpretasse, com o mínimo de significado original, os trechos a seguir, ele passaria por um dos maiores vexames de sua vida.

Veja alguns exemplos de conteúdos onde ler dinamicamente não gera nenhum resultado ↴

Com efeito, para tudo que é de origem divina existe um período contido num número perfeito; e para as criaturas humanas outro número, que é o primeiro em que, tendo recebido três distâncias e quatro limites os incrementos dominantes e dominados do que iguala e desiguala e aumenta e diminui, esses incrementos fazem aparecer todas as coisas como harmônicas e comensuráveis entre si.” (A República/Livro VIII – Platão)

Achou o parágrafo muito grande? Então aí vai um frasesinha bem breve:

Os circuitos de consagração social serão tanto mais eficazes quanto maior a distância social do objeto consagrado.” (Pierre Félix Bourdieu)

Achou a frase muito técnica? Que tal a estrofe de um poema:

Na mesma proporção que o salgueiro dobrável submete-se à verde oliveira, o humilde nardo submete-se ao roseiral aromático.” (Virgílio – poeta latino)

Eu tenho certeza que a leitura desses textículos seria feita em milésimos de segundos por algum adepto das técnicas de Leitura Dinâmica, mas ao ser indagado sobre o teor significativo de cada um dos trechos, o tal especialista iria gaguejar, disfarçar, mas não haveria saída: ele passaria por um dos maiores vexames de sua carreira.

E por que isto aconteceria? Ora, porque todos esses conteúdos se referem a esferas disciplinares de difícil penetração e que, mesmo estando devidamente contextualizados em um discurso completo, eles não podem ser entendidos, em todos os seus aspectos, no afã de uma única leitura apressada.

E com os concursos públicos, não é diferente.

Até certo ponto – devo admitir – as técnicas de leitura Dinâmica podem ser compatíveis com o estudo de materiais de concursos, mas só enquanto, como eu disse acima, a natureza das disciplinas atender àqueles três requisitos, isto é, for…

  1. Estruturalmente objetiva;
  2. Linguisticamente simplória;
  3. Tematicamente comum.

Exemplos?

  • História do Brasil;
  • Direitos Humanos;
  • A maioria dos 78 incisos do artigo 5º da Constituição Federal;
  • Geografia política;
  • Química avançada [brincadeira! :)]

Até aí, tudo bem ler dinamicamente os conteúdos. Você, de fato, ganhará muito tempo aderindo, nesses casos, a todos os contornos dessa metodologia.

Contudo, a realidade é que a maioria esmagadora das matérias que ocupam os editais de concursos possuem um caráter de complexidade muito elevado:

  • Elas são, muitas vezes, extensas e profundas (cito o Direito Constitucional, o Direito Administrativo e o Direito Tributário);
  • Não raras as vezes, são verbalmente complexas (menciono a informática avançada e o português avançado);
  • Frequentemente, consistem em assuntos com os quais nunca lidamos na vida cotidiana (lembro-me da Matemática aplicada, do Inglês e do Comércio Internacional).

Isso vale, é óbvio, para quem ainda é um leigo [o cidadão comum] quanto ao domínio médio dessas disciplinas ou ciências. Já no caso de um expert, dá sim para se usar as técnicas de Leitura Dinâmica normalmente nessas circunstâncias.

Mas se não é essa a sua condição, então permaneça na “leitura tradicional”, porém, introjetando na mesma a mnemônica, os mapas mentais, os flashcards, os ciclos de estudo, dentre outros itens de monumental importância para um estudo de alta performance.

Cursos Online para ENEM 2017

CONCLUSÃO

Bem, meu objetivo nesse artigo não foi o de confeccionar um mini-curso sobre como desdobrar a Leitura Dinâmica nos estudos para concursos públicos, até porque não sou um especialista nessa área.

Minha pretensão era a de lhe apresentar o conceito fundamental dessa ferramenta e lhe apontar em qual natureza de conteúdo ela pode ser aplicada com sucesso e até que ponto esse mesmo êxito poderá ser alcançado no estudo de disciplinas concursológicas.

Todavia, se você quiser ir além e se aprofundar mais no assunto, adotando todas as técnicas de leitura Dinâmica em alguns de seus projetos de estudo, como:

  1. Padrões de Varredura;
  2. Leitura Guiada;
  3. Não-repetição silábica;
  4. Reconhecimento de palavras-chave;
  5. Edição de Colunas;
  6. Agrupamento, Mapeamento e Margens;
  7. Regressão, e MUITO MAIS.

Então, eu recomendo a você que clique agora na imagem abaixo e descubra o que o primeiro recordista brasileiro de memória tem a lhe dizer sobre tudo isso que conversamos aqui ↓

técnicas de leitura dinâmica

Até a próxima, concursólogo!


Gostou desse artigo?

Então compartilhe-o em suas redes sociais (com os botões de compartilhamento acima ⇑ ⇑) e se inscreva na caixa de e-mail abaixo, a fim de que eu possa lhe enviar, em primeira mão, os conteúdos mais quentes que forem brotando aqui no Concursologia ⇓ ⇓

  • Guilherme Mariano

    Como sempre um texto muito bom,gostei muito do modo que você aplica seu ponto de vista em relação a leitura dinâmica.Parabéns Marlon,ótimo texto.

    • Marlon Teixeira [Concursologia

      Obrigado Guilherme!

      Tento sempre trazer o que há de mais refinado, sofisticado e científico em conteúdos para leitores como você, que sabem diferenciar um artigo mais equilibrado e realista daqueles que só prometem receitas mágicas para tudo.

      Um abraço!